Como engarrafar sua Cerveja

A forma tradicional de fazer com que uma cerveja ganhe gás é promover uma segunda fermentação em garrafa. Para tal basta adicionar açúcar à cerveja e fechar a garrafa. A levedura ainda presenta na cerveja irá fermentar este açúcar produzindo gás carbónico (CO2), que irá carbonatar a cerveja.


Equipamento necessário

  • Segundo balde ou balde de engarrafamento
  • Válvula de engarrafamento
  • Capsulador
  • Cápsulas (caricas) e garrafas

Use de preferência garrafas de vidro de cor castanha. As garrafas, bem como as cápsulas, deverão ser previamente lavadas, sanitizadas e passadas por água.


Sanitização do Equipamento

Passe todas as garrafas por solução de sanitização e passe por água. Todo o restante equipamento (balde, sifão, válvula, cápsulas) deve também ser sanitizado.


Grau de carbonatação

Selecionar a quantidade de açúcar a adicionar consoante o grau de carbontação desejada (ver abaixo). Dissolver o açúcar em 200 mL (1 copo) de água quente.

Carbonatação
grau carbonatação açúcar (g/L)
Baixo (Ale, Porter, Stout) 5 – 6
Médio (Lages, Abadia) 6 – 7
Elevado (Weizen, Lager) 7 – 8

Por exemplo, para 23 litros de cerveja com cabonatação média, 6 g/L, necessitamos de 138 g de açúcar.

Atenção: Não ultrapassar 8g de açúcar por litro. Risco de explosão das garrafas !


Misturar o açúcar

Introduza a solução de açúcar num segundo balde/fermentador ou balde de engarrafamento, para a gaseificação da cerveja.

misturar o açúcar

Transfira a cerveja, com o auxilio de um sifão, para o segundo fermentador ou balde de engarrafamento. Coloque a ponta da mangueira de forma a promover um movimento circular para misturar a cerveja e o açúcar.
Espere cerca de 10 minutos para que o açúcar se difunda completamente na cerveja, se necessário mexer suavemente com a espátula.


Enchimento

Transfira a sua cerveja açucarada para as garrafas com o auxílio de uma válvula engarrafamento acoplada à torneira do balde ou ao sifão de trasfega.


Capsular

Colocar a cápsula na garrafa, ou caso use garrafas de tampa mecânica fechar a tampa.


Carbonatação

A sua cerveja irá agora para a fermentação secundária, onde o açúcar será transformado em CO2, permitindo que a cerveja ganhe gás. Este processo demora cerca de 2 semanas dependendo da temperatura.
Uma cerveja devidamente engarrafada mantém-se em bom estado durante 6 meses a um ano. Tenha em atenção que a cerveja melhorará com o tempo. A espera compensa …


Quando a cerveja estiver carbonatada chegou o grande momento! É hora de convidar os amigos e divertir-se.

Boas cervejas !

Cerveja a partir de Malte em Grão

Aqui abordamos a produção de cerveja diretamente a partir dos seus ingredientes base: água malte e lúpulo. Esta técnica de produção permite controlo total sobre o processo tornando possível fazer qualquer tipo de cerveja que se queira fazendo uso dos mais variados ingredientes. A diferença em relação ao uso de kits ou extrato é que iremos criar o nosso próprio extrato a partir do malte.


Equipamento necessário

Equipamento necessário para fazer
  • Moinho de malte
  • Panela
  • Cuba-Filtro
  • Espátula cervejeira
  • Termómetro
  • Densímetro
  • Papel pH
  • Fermentador (com borbulhador)

Ingredientes

Variam consoante a receita

o que precisa ?
  • Malte base e malte de especialidade
  • Lúpulo
  • Extracto de malte
  • Levedura
  • Outros (açúcar, cereais, especiarias, frutos, etc.)

Mogem do malte

O objectivo é partir o grão de modo a expor o seu interior que consiste em amido e enzimas.

Deve evitar-se reduzir o grão a farinha! Se a moagem for demasiado fina, com muita farinha, a operação de filtração (ver mais abaixo) será demasiado difícil ou quase impossível.


Brassagem

Esta etapa consiste em misturar o malte com água e manter a infusão entre 65 a 68ºC e pH 5.2 a 5.5, para que as enzimas existentes no malte convertam o amido em açúcares. Apresentamos uma técnica de brassagem denominada de infusão simples. Esta técnica é extremamente fácil de executar e permite obter bons resultados, sendo por isso a mais usada por cervejeiros caseiros.

  • Adicionar ao malte moído 3 L água quente por kg de malte, de modo a atingir a temperatura desejada (normalmente entre 65 a 68 ºC). Após a mistura verifica-se a temperatura e corrige-se com a adição de água quente ou fria conforme necessário
  • O pH da brassagem deve situar-se entre 5.2 a 5.5. Caso necessário corriga o pH. Para simplificar pode usar sumo de limão como acidificante. Normalmente o sumo de 1/4 ou 1/2 limão é suficiente.
  • Passados 60 minutos a conversão do amido em açúcares deverá estar completa. Antes de proceder à etapa de filtração é conveniente aqueçer a mistura a 75 – 78 ºC durante 20 minutos. Este aquecimento por objectivo terminar a actividade enzimática e diminuir a viscosidade do mosto facilitando a operação de filtração.

Filtração / Aspersão

Após a brassagem temos uma solução açucarada misturada com restos de amido não convertido e cascas do cereal. Pretende-se separar a solução açucarada (mosto) do restante material. Esta separação é efectuada numa cuba com fundo falso denominada de cuba-filtro.

  • Transferir a brassagem para a cuba filtrante. Abrir a torneira e começar a recolher o mosto.
  • Os primeiros litros de mosto (4-8L) são recirculados à cuba filtrante até que se obtenha um mosto razoavelmente límpido.
  • Iniciar a recolha do mosto para a panela. Ir adicionando água a 77ºC à cuba filtrante para compensar o volume de mosto que se está a recolher na panela.
  • Recolher o volume de mosto previsto pela receita acrescido de 10% para compensar as perdas na fervura.

Fervura

  • Aqueça a panela até levantar fervura. Cuidado para não deitar por fora!
  • Adicione o lúpulo de amargor . Comece a contar o tempo de fervura.
  • Próximo do final da fervura (os tempos são indicados na receita) adicione o lúpulo de aroma.
  • Final da fervura. Apague o lume.

Arrefecimento

  • O mosto deve ser arrefecido até uma temperatura suficientemente baixa para se poderem adicionar as leveduras (abaixo de 25 ºC).
  • Preferencialmente use uma serpentina onde se faz passar água fria para arrefecer rapidamente o mosto.
  • Depois de arrefecer transfira o mosto para o fermentador deixando o lúpulo e o “trub” (precipitado de proteínas, lúpulo, etc.) na panela.

Fermentação

  • Inocule as leveduras, mexa bem.
  • Areje bem o mosto de preferência com uma bomba e difusor de ar.
  • Deixe a cerveja fermentar até cessar a actividade no borbulhador.
  • Transfira a cerveja para o fermentador de guarda e deixe maturar algumas semanas (opcional).
  • Engarrafe a sua cerveja

Boas cervejas !

O que é Cerveja Escura

O que é Cerveja Escura

O sabor ganhou uma nova cor. A Cervejaria Cintra lançou em maio um produto que pretende movimentar o mercado de cervejas: A Cerveja Escura Cintra. Mais encorpada e aromática que a linha Pilsen e com maior teor alcoólico (5,3%), a Cerveja Escura Cintra tem como principal diferencial o fato de ser fabricada com puro extrato de malte torrado. Mesmo com seus ingredientes especiais, a nova cerveja não é sazonal e poderá ser encontrada nos pontos-de-vendas durante o ano inteiro.

Definições: Cerveja tipo Escura

Definição: Cerveja tipo Escura.
Fabricação: Processo normal de cerveja clara tipo pilsen, porém acrescentado extrato de malte escuro.
Embalagens: Long Neck 355ml, Lata 350ml, Garrafa 600ml.
Ingredientes: Água, malte, cereais não malteados, carboidratos, lúpulo, corante caramelo, 150c antioxidante INS 316, estabilizante INS405, acidulante INS 270 Teor Alcoólico ico: 5,3% vol.
Teor Calórico: 42,9 kcal/100ml.
Prazo de Validade: 6 meses.

O que é Cerveja Pilsen

Cerveja Pilsen

Dá mais trabalho para a gente. Mas, em compensação, dá muito mais prazer para quem bebe. Nossa fábrica fica bem perto da fonte, recebendo água diretamente da natureza. E nossos mestres-cervejeiros têm apenas um compromisso: trabalhar intensamente para desenvolver a melhor cerveja do Brasil. Além disso, todas as pessoas que trabalham na Cintra sabem que só há uma forma de fazer sucesso neste mercado: oferecer um grande produto.

Como é feito a cerveja

O que é Cerveja Pilsen

Os segredos são: a procedência dos ingredientes,
a qualidade das matérias-primas, o processo de fabricação e a tecnologia. E o que não é segredo para ninguém é que só se faz uma cerveja deliciosa com muito trabalho e dedicação. Por isso, nós colocamos todos os nossos esforços na elaboração de uma cerveja suave e deliciosa. Por exemplo, não utilizamos nenhum aditivo para acelerar processos ou colorir artificialmente nossa cerveja.

algumas cervejas pilsen

Definições: Cerveja tipo Pilsen

Definição: Cerveja tipo Pilsen.
Fabricação: Produzida com malte com especificação exclusiva para Cervejarias Cintra, levedura exclusiva e lúpulo da melhor região do mundo (Harletau – na Alemanha).
Embalagens: Garrafa 600ml, Long Neck 355ml e Lata 350ml.
Ingredientes: Água potável tratada, malte, cereais não maltados, carboidratos, lúpulo, antioxidante INS 316, estabilizante INS 405.
Teor alcoólico: 4,7% vol.
Teor calórico: 42,9 kcal/100ml.
Prazo de Validade: 6 meses.

Conheça a Dalla Cervejaria

A Cervejaria

A Dalla Microcervejaria iniciou seu processo de fabricação de cervejas artesanais em outubro de 2011, apresentando à cidade de Chapecó e região a cultura das cervejas mundialmente veneradas e elaboradas a partir da Lei Alemã da Pureza Cervejeira – Reinheitsgebot, lei da pureza Alemã, promulgada pelo Duque Guilherme IV da Baviera em 1516, o qual garante que as cervejas produzidas devem ter como ingredientes somente água, malte, lúpulo e fermento.

Fabricamos cervejas inspiradas em características fundamentais das escolas alemã, inglesa e americana.

A Dalla possui em sua fábrica modernos equipamentos que permitem ao seu mestre cervejeiro produzir cervejas únicas e excepcionais.

Como conhecer a Dalla

A Dalla possui em anexo à fábrica a casa que permite ao público visualizar o processo de produção, apreciando suas cervejas, acompanhadas de deliciosos petiscos, com muita gente bonita e música ao vivo para alegrar ainda mais a noite chapecoense.

Como conhecer a Dalla

Como conhecer a Dalla

Sua arquitetura traz artigos retrô, que contemplam uma proposta única, com a fina mistura de sofisticação e de antigos bares, unindo charme e elegância.

A casa oferece vários ambientes, com climatização total, wi-fi zone, mesas para grupos maiores e chope encanado direto na mesa.

Como é feito Chopp

Confira ao lado o nosso processo de fabricação!
Dalla Pilsen Diamante / Cristal

Conheça a Dalla Cervejaria

Cerveja de baixa fermentação, com cor dourada intensa, apresenta corpo leve, cristalina – através de filtração, além de sua característica única de refrescância, médio amargor e excelente equilíbrio entre seu paladar maltado e seus aromas lupulados, buscados na escola Americana, de vanguarda. (4.5 e 5% vol.)
Dalla Pilsen Gold / Natural

Cerveja com as mesmas características da Dalla Pilsen / Diamante / Cristal: Produzida através de baixa fermentação, cor dourada intensa, corpo leve, refrescância, médio amargor, excelente equilíbrio entre seu paladar maltado e seus aromas lupulados, buscados na escola Americana, de vanguarda. Porém, não filtrada, assim, é naturalmente turva por manter o fermento cervejeiro e maior frescor. (4.5 e 5% vol.)

Conheça Oettinger Pils da Alemanha e Preços

Da Alemanha, vem as cervejas mais puras do mundo. A Lei de Pureza Alemã (Reinheitsgebot), promulgada em 1516, diz que a cerveja tem que ser composta por apenas 4 ingredientes básicos: água, malte, lúpulo e levedura.

E essa pura pilsen alemã, Oettinger Pils, leva a ferro e fogo essa tradição. É uma cerveja com personalidade, de puro malte e amargor pronunciado.

Tem a refrescância da pilsen, mas sem perder o paladar das pils alemãs, tornando uma cerveja exclusiva e ótima para tomar nesse calor.

Que tal harmonizar ela, com o nossa Lula Dorê ou Canapé de Tomate Seco?

Com 500 ml e 4,7% de teor alcóolico, a media, ela sai por R$ 20,00

Trappistes Rochefort 6

A Rochefort 6 é uma cerveja belga trapista do estilo Belgian Dubbel, produzida pela Abadia de Notre-
Dame de St. Remy.

Mas, o que significa dizer que ela é uma Belgian dobble? A Rochefort 6 é uma cerveja do tipo Ale na
qual o mestre cervejeiro adiciona o dobro da quantidade de malte do que adicionaria a uma cerveja
dita comum. Normalmente são bebidas balanceadas e de teor alcoólico mediano.

Com aroma cítrico de uvas e um leve toque de mel, tem um sabor longo e levemente seco, coloração
vermelho-escura, colarinho denso e persistente, a Trappistes Rochefort 6 é cerveja mais leve feita pela Abadia de Notre-Dame de St. Remy.

Que tal pedir uma Trappistes Rochefort 6 para acompanhar uma das nossas porções frias, azeitonas
pretas temperadas?

Duff Beer, a breja dos Simpsons!

A Duff Beer é a marca de cerveja favorita de Homer Simpson, o paizão da família em “Os Simpsons”. Em 2003, Barth Simpson e seus colegas da Escola Elementar de Springfield fizeram uma ameaça terrorista: todas as crianças também deveriam experimentar a cerveja Duff!!!´

É claro que no mundo real isso não vai acontecer, afinal bebidas alcoólicas são vendidas apenas para maiores de 18 anos! Mas, a cerveja sim, saiu do mundo fictício para o mundo cervejeiro real! As crianças não poderão experimentar, mas os adultos sim!

Duff Beer é uma Premium American Larger. Ou seja, é uma cerveja leve e refrescante, feita para matar a sede e para ser bebida bem gelada. Faz parte do tipo de brejas mais populares dos Estados Unidos, como a Budweiser, a Coors e a australiana Foster’s. No Brasil, as chamadas Pilsen, aquelas mais populares como Brahma, Skol, Kaiser e Antarctica são American Lagers.

Quer experimentar!? Corre para uma cervejeira da sua preferência! O Homer dançou, pois a Duff não é mais exclusividade dele! Já é a preferida de muitos brasileiros!

Cerveja Caseira Primeiros Passos

Como fazer cerveja caseira, por onde começo?

Diversas razões podem nos levar a fazer cerveja em casa. A produção caseira pode ser mais barata do que as cervejas comerciais equivalentes; na produção artesanal, o cervejeiro pode produzir uma bebida mais natural e saudável, pois é facultada a ele a seleção dos ingredientes utilizados, assim como a responsabilidade pela sua procidência; permite também a criação de cervejas que se ajustem ao sabor pretendido, ampliando o potencial gastronômico da bebida.

Acima de tudo, ser um cervejeiro artesanal pode implicar em fazer parte de um ambiente social autêntico e integrado. Muitos cervejeiros se relacionam através de comunidades dinâmicas que refletem a paixão do produtor pela sua obra: a cerveja é o motor de discussões acaloradas e de trocas de experiências nas quais todos saem ganhando. Ser um cervejeiro não é só produzir cerveja, mas produzir com paixão e criatividade, cultivar relações e aprender com elas, criar entretenimento e fabricar cultura.

Para produzirmos uma cerveja artesanal não é necessário ter uma fábrica. Uma cerveja de ótima qualidade pode ser produzida dentro de sua própria cozinha. Para isso, bastam alguns equipamentos e disposição. Apesar de trabalhoso, é um processo simples e, para nós cervejeiros, bastante gratificante! A seguir está descrito de maneira simplificada o processo de produção de cerveja.

MOAGEM

Esta é a primeira etapa. Nela, a cevada maltada é moída, aumentando a eficiência da brassagem. Isso porque, depois de moídos, os grãos do malte têm seu interior exposto para ação de enzimas.

BRASSAGEM

DA brassagem, também chamada de mostura, é quando colocamos o malte moído dentro de uma panela com água e a aquecemos até atingirmos certas temperaturas. Ela visa converter o amido do malte em açúcares menores e quebrar suas proteínas e polipeptídios em pequenas frações, interferindo no corpo, no teor alcoólico e na qualidade da espuma da cerveja. Como cada enzima atua em uma faixa diferente de temperatura, as temperaturas trabalhadas nesta fase definirão muitas características da cerveja. Aqui, devemos mexer constantemente a mistura, distribuindo a temperatura de forma homogênea na panela.

LAVAGEM

Seu objetivo é separar o bagaço do mosto [líquido resultante da brassagem] Nesta etapa, colocamos um fundo falso em outra panela e passamos todo o conteúdo da panela de brassagem para ela. [inclusive o bagaço do malte]
Como o fundo falso permite a passagem apenas do mosto, circulamos este na panela e adicionamos mais água mineral para que ela “lave” o bagaço e absorva os açucares contidos nele. Ao final desta etapa temos o mosto livre de partículas sólidas.

FERVURA

Fervemos então o mosto para eliminar possíveis contaminantes e compostos voláteis indesejados. É também nesta fase que adicionamos o lúpulo à cerveja, extraindo deste o amargor ou o aroma desejado.

FERMENTAÇÃO

Após a fervura, resfriamos o mosto à temperatura ambiente, em seguida transferimos o mesmo para um novo recipiente ao qual adicionamos fermento. Este recipiente é guardado em um refrigerador à temperatura controlada, para que o fermento se mantenha em atividade. O objetivo desta etapa é a fermentação dos açucares pelas leveduras, gerando CO2 e Álcool. O fermento também interfere no aroma da cerveja. Utiliza-se nesta etapa do processo o que chamamos de “Airlock”, que é uma válvula que permite apenas a saída de gases do recipiente fermentador. Desta maneira, elimina gases e aromas indesejados enquanto restringe a entrada de contaminantes.

MATURAÇÃO

Ao final do processo de fermentação, transferimos apenas o líquido [cerveja] para outro recipiente, desprezando o acúmulo de fermento inativo que se concentra no fundo do recipiente. Com isso evitamos a autólise do fermento, que gera sabores indesejados na cerveja.

ENGARRAFAMENTO

Com o final da Maturação, transferimos a cerveja do maturador para outro recipiente, novamente evitando o acúmulo de fermento que se deposita no fundo. Então, adicionamos uma calda de açúcar à cerveja e misturamos. Este açúcar serve como nova fonte de alimento para as leveduras que, ao consumi-lo, serão responsáveis pela carbonatação da cerveja.
O próximo passo é engarrafar a cerveja e armazena-la em um local sem luz e em temperatura compatível ao fermento. Decorridos alguns dias, a cerveja fermentará na garrafa produzindo gás carbônico naturalmente e, enfim, estará pronta para o consumo.

CONSUMO
Agora é só beber!

Como Fazer Cerveja Artesanal: Fácil e Rápido

Para fazer sua própria cerveja não é um bicho de 7 cabeça. Você só precisa escolher sua receita e seguir cada etapa do processo de forma muito simplificada fazer cerveja.

Passos Básicos

primeiro é preciso cozinhar o malte para fazer o mosto transformando o amigo do
malte em açúcar depois ferver este moço por 60 minutos e adicionar lúpulos de amargura e aroma em seguida é preciso resfriar e preparar para a fermentação o quarto passo é a maturação e por último o envase um ponto importante é entender que os volumes variam muito de acordo com os insumos com seu equipamento e processos para essa receita vamos usar como base o kit básico de 20 litros .

Brassagem

brassagem o mosto duração é o nome que se dá o processo de cozimento do malte
boas elmalt tomando cuidado para não transforma lo em pó, a ideia deste processo é facilitar a
extração do açúcar mas se você não ir muito vai dificultar a etapa de filtragem mais à frente dica você pode comprar o malte já moído ou utilizar extrato de malte.
Agora aqueça de 22 a 25 litros de água filtrada na sua panela de brassagem até
alcançar 72 graus celsius use o termômetro para monitorar a temperatura quando estiver na
temperatura certa adicione cuidadosamente o malte já moído quatro quilos de bill 100 e 1 quilo de cara malte e cuide para que a temperatura nunca ultrapasse 68 graus use sua para mexer um monstro de vez em quanto e sempre que o fogo estiver ligado se a temperatura estiver subindo. rapidamente apague o fogo e espere a
temperatura baixar.
Depois de  reacender 60 minutos com a temperatura controlada,
devemos fazer a recirculação por uns 15 minutos retire um pouco de mosto usando
a torneira da panela e com a ajuda de uma escavadeira despejo conteúdo de
volta a idéia é fazer uma espécie de chafariz
espalhando líquido na queda dica a recirculação também pode ser
feita com uma bomba.
Quando mosto começar a ficar mais cristalino, transfira para outra panela se você só tiveram uma panela grande, transfira para outro recipiente e lave a que você já está usando a próxima etapa é a fervura que será de 60 minutos. Aqui é a hora de adicionar os lúpulos primeiros de amargor que mais pro final os de aroma os tempos devem ser controlados portanto prepare o
cronômetro logo no começo da fervura coloque 15 gramas do lúpulo kaskende para dar amargor quando estiver faltando apenas cinco minutos para terminar coloque mais 10 gramas para dar o aroma quando completar uma hora de fervura
desligue o fogo e deixe descansar por 5 minutos.
Depois faça um redemoinho com a ajuda da sua pá para criar uma força
centrífuga para empurrar o Trub ” massa de proteínas que se aglutina durante a fervura”, para o centro da panela esse processo.
Aguarde 5 minutos antes de começar o resfriamento nessa etapa precisamos baixar rapidamente a temperatura do mosto para aproximadamente os 26 graus antes de colocar o fermento. Existem
várias formas de fazer esse processo você pode usar um chiller de contrafluxo ou
um chiller de imersão ou até placas o método mais barato mas não é o mais
fácil é o banho maria.
Coloque a panela dentro de um recipiente maior cheio de gelo a partir desse
processo você deve ter um cuidado extra com a sanitização tudo deve estar limpo
e esterilizado, depois de resfriado despeje o mosto em fermentador devidamente
sanitizado fique atento para não deixar o
trub sair e quando perceber que o material sólido estiver perto da
torneira para transferência e jogue o que restou fora
adicione o fermento feche bem e coloque
o é  airlock “vauvula de fermentação que veda a entrada de ar” também sanitizado e adicione um
pouco de água para que ele funcione de maneira correta o e airlock vai impedir a
entrada de impurezas ou bactérias sem impedir a saída do gás carbônico produzido durante a fermentação.
Oideal é deixar o fermento agir por pelo menos uma semana com a temperatura controlada a 22 graus de você até pode optar por fermentar a temperatura ambiente mas é relativamente barato e
simples usar um termostato isso garante que o fermento irá trabalhar em sua temperatura ideal.
Depois de uma semana baixa temperatura para 10 graus e deixe
maturar por dez dias a maturação fará com que as células de levedura de canto no fundo do
fermentador deixando a cerveja mais cristalina muito cuidado ao movimentar o
balde após a maturação pois a agitação fará a cerveja ficar turva novamente
Depois de dez dias sua cerveja estará quase pronta para consumo agora você precisa decidir como irá envasar se usará garrafas ou post mix, depois de maturada você precisa tirar a cerveja com cuidado para não transferir o fermento junto o mais aconselhado é usar uma mangueira ou ao cifram já devidamente sanitizadas e despejar o conteúdo para outro recipiente também esterilizado, neste novo recipiente que pode ser sua panela de brassagem adicione prime e misture levemente para homogeneizar a mistura.
Dica se preferir pode referendar a cerveja na própria garrafa usando sachês de açúcar
depois disso é só encher as garrafas e tampar uma semana a temperatura ambiente
será o suficiente para que forme gás coloque na geladeira e aproveite
lembre-se de sanitizar as tampinhas também a partir de agora você poderá
degustar a melhor cerveja que existe que é a sua.